Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

100 Anos de Música

100 Anos de Música

070. O Tempo Não Para (1988)

CAZUZA E ARNALDO BRANDÃO
1988. O militar e líder palestino, Yasser Arafat, dirigente máximo da OLP, proclama o Estado Independente da Palestina e reconhece o Estado de Israel. A bela Audrey Hepburn é nomeada Embaixadora Especial da Unicef, e dedica a sua vida, a partir de então, ao programa internacional de auxílio às crianças carentes. Aos 14 anos, a lourinha Angélica estreia na televisão. Morre aos 82, o maestro Radamés Gnatalli, um dos mais importantes arranjadores da nossa música. Em 88, Paulo Coelho é fenômeno de vendagem com o livro O Alquimista. E brilha intensamente a estrela de Cazuza!

069. O Que Será (1976)

CHICO BUARQUE DE HOLLANDA (À FLOR DA TERRA)
1976. O país vive tempos difíceis. O Que Será é um grito de liberdade. Melodia forte. Versos de uma beleza agressiva, indignada — no melhor estilo do Chico.

068. O Bêbado e a Equilibrista (1979)

JOÃO BOSCO E ALDIR BLANC
1979. O governo militar aprova a Anistia e o fim do AI-5. Estreia no Rio a peça Rasga Coração, de Oduvaldo Vianna Filho, proibida pela censura desde 1972. Liberado o filme Contos Eróticos, de Roberto Santos, Roberto Palmari, Eduardo Escorel e Joaquim Pedro de Andrade. Sai LP do Chico com músicas até então proibidas pela censura. Apesar de Você é uma delas. Fernando Gabeira lança o livro O Que é Isso, Companheiro? E explode em todo o país, O Bêbado e a Equilibrista, de João Bosco e Aldir Blanc, retrato dessa época.

067. No Rancho Fundo (1931)

ARY BARROSO E LAMARTINE BABO
Vargas assume o governo provisório — um “provisório” que iria durar 15 anos. Gandhi vai a Londres defender a paz.  Marconi liga um interruptor na Itália e acende, no Rio, as luzes do Cristo Redentor. E... bem pra lá do fim do mundo, uma canção fala de amor.

066. Nervos de Aço (1947)

LUPICÍNIO RODRIGUES
1947. A Grã-Bretanha renuncia ao poder na Índia. O país de Gandhi finalmente conquista a independência. Nehru assume o governo. O capitão Charles Yaeger, da Força Aérea dos Estados Unidos, realiza o primeiro vôo supersônico da história da aviação pilotando um Bell XS-1. O suíço Auguste Piccard constroi o primeiro batiscafo. E vai atingir, em 1960, 11 mil metros de profundidade. Gravadoras americanas comemoram a prensagem do bilionésimo disco. Almirante produz um dos maiores sucessos da Rádio Nacional, o programa: Incrível, Fantástico, Extraordinário. Em Porto Alegre, nasce uma das mais belas melodias da música popular.

065. Minha Namorada (1965)

CARLOS LYRA E VINÍCIUS DE MORAES
1965. Um satélite chamado Pássaro Madrugador é usado pela primeira vez para a transmissão de programas de TV nos Estados Unidos. No Brasil, a Televisão investe na criatividade e nos grandes espetáculos: a Excelsior inventa o Festival — uma gauchinha desconhecida arrebata, incendeia e vence, com Arrastão, de Edu e Vinícius. A Tupi transmite do Maracanãzinho, ao vivo, o último capítulo da novela O Direito de Nascer. Nasce a TV Globo no Rio de Janeiro, quando a cidade em festa comemora o IV Centenário. Minha Namorada é desse tempo, obra-prima do Carlinhos Lyra, um dos maiores melodistas da MPB.

064. Meu Bem Querer (1980)

DJAVAN
1980. Ano de Djavan.

Ele chega sem pressa, como quem sabe onde está. Como quem sabe. E é assim que ele controla a beleza, amansa o verso, conquista a melodia pura. A voz de paixão e fogo tem a marca dos iluminados. De quem sabe querer bem o bem-querer; de quem vai sobreviver ao tempo, jurado pra viver de amor.

062. Mas, Que Nada (1963)

JORGE BEN
1963. Em Londres, os Beatles recebem da Rainha Elizabeth a Ordem do Império Britânico. Agrava-se o clima de tensão entre negros e brancos nos Estados Unidos: Bob Dylan e Joan Baez emocionam a América cantando contra a luta racial. Pela primeira vez na história do cinema, um negro conquista o Oscar de melhor ator. O vencedor é Sidney Poitier no filme O Lírio do Vale, de Ralph Nelson. No Brasil, o samba se casa com o maracatu e nasce um balanço diferente, único, irresistível — é Jorge Ben!

061. Marina (1947)

DORIVAL CAYMMI
A princesa Elizabeth, futura rainha da Inglaterra casa-se com o príncipe Philip da Grécia, duque de Edimburgo. Em 47, as chinesas e argentinas conquistam o direito ao voto. Surge a fotonovela na Itália e com uma rapidez incrível, os dramalhões em quadrinhos chegam ao Brasil. A companhia Dulcina-Odilon “vai de vento em popa” (para se usar uma expressão da época) e anuncia a contratação da vedete Mara Rúbia para o novo espetáculo, Mulheres. Luz del Fuego escandaliza a sociedade conservadora exibindo-se quase nua com uma jiboia... viva! Em 47, a dançarina publica o romance Trágico Black-Out: outro escândalo! Dorival Caymmi morre de ciúme e compõe Marina. De lá pra cá, são 53 anos de sucesso!

060. Maria, Maria (1978)

MÍLTON NASCIMENTO E FERNANDO BRANT
1978. O ditador Jean-Bédel Bokassa, da República Centro Africana, não satisfeito com o título de presidente vitalício, acaba de se coroar Imperador Bokassa I, do novo Reino Centro Africano. A festa para 3 mil convidados custou 20 milhões de dólares.  Madre Teresa de Calcutá impressiona o mundo por seu trabalho incessante pelos famintos, doentes e crianças da Índia — e em 79 recebe o Prêmio Nobel da Paz. Hortência é campeoníssima no sul-americano de basquete. Clarice Lispector publica Um Sopro de VidaE Milton Nascimento constroi um verdadeiro hino à garra e à força da mulher.

Canções

  •  
  •  

    Marcos Resende